𝐀 𝐜𝐨𝐢𝐬𝐚 𝐯𝐚𝐢 𝐟𝐢𝐜𝐚𝐫 𝐩𝐫𝐞𝐭𝐚 𝐧𝐚 𝐌𝐞𝐝𝐢𝐜𝐢𝐧𝐚 𝐕𝐞𝐭𝐞𝐫𝐢𝐧á𝐫𝐢𝐚. 𝐄 𝐢𝐬𝐬𝐨 é 𝐦𝐚𝐫𝐚𝐯𝐢𝐥𝐡𝐨𝐬𝐨!

 

Com mais de metade da população brasileira se autodeclarando como negra ou parda, a presença de afrodescendentes ainda é tímida nas faculdades de Medicina Veterinária e Zootecnia de todo o país.

Dispostos a mudar a situação, jovens de todo o país estão construindo formas de ampliar o acesso à educação. No caso da Medicina Veterinária, um grupo específico, o Afrovet, reúne profissionais e estudantes na resistência ao racismo.

No mês da consciência negra, quando se comemora o Dia da Consciência Negra ou Dia de Zumbi dos Palmares, Conselhos Regionais de Medicina Veterinária se unem para publicar uma série de matérias especiais englobando a luta do Afrovet, casos de resistência, orientações jurídicas antirracistas e modelos de sucesso profissional.

Para não perder uma das publicações, atenção às datas: 05, 12, 19, 20 e 26 de novembro, às 10h da manhã em nossos sites e redes sociais.