Em alusão ao Dia do Médico-Veterinário, o CRMV-PB promoveu uma palestra gratuita com o professor e especialista Rodrigo Olivindo (SP) com o tema: “Pandemia da Obesidade Canina e Felina: do diagnóstico ao tratamento”. O convidado expôs sobre a necessidade de atenção dos tutores e a prevenção através do cuidado e da alimentação adequada para cada porte.

A palestra abordou sobre a necessidade do médico-veterinário entender que o alimento é uma prescrição e deve ser observada desde o primeiro contato com o paciente e o tutor “dessa forma evitamos doenças futuras causadas pela obesidade como hipertensão, diabetes, renais e e dando mais qualidade de vida a esses animais de companhia. É preciso que nós médicos-veterinários façamos o papel de educador para mostrar aos tutores a importância de uma dieta balanceada e rica com nutrientes que realmente fazem a diferença”, comentou.

Esse evento faz parte de uma rodada de palestras que está sendo promovida pelo CRMV-PB durante todo o mês de setembro com convidados do Paraná, Ceará e profissionais paraibanos. Além de uma campanha nas redes sociais e nas TVs Paraíba e Cabo Branco sobre a atuação do médico-veterinário na Saúde Única. Uma forma de conscientizar a população sobre a atuação desses profissionais.

 

O trabalho do médico-veterinário

O trabalho dos médicos-veterinários vai muito além das clínicas e dos consultórios veterinários, destinados aos animais de companhia; eles atuam em atividades ligadas à produção dos alimentos de origem animal que chegam à mesa do consumidor; têm papel fundamental na agropecuária brasileira; podem trabalhar como consultores, responsáveis técnicos, docentes e peritos criminais, judiciais e administrativos; exercem atividades em laboratórios para análise de solo, para análise da água e domissanitários (saneantes destinados ao uso domiciliar); realizam pesquisas em alimentos; participam da produção de vacinas e de medicamentos de uso animal, entre outros.

No caso da saúde pública, por exemplo, a categoria foi integrada, em 2011, às equipes multiprofissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf). Isso significa que, desde então, os médicos-veterinários têm a chancela do Governo Federal para atuar ao lado de outros profissionais que trabalham pela qualidade da atenção básica à saúde nos municípios brasileiros.

Ao longo de 50 anos de regulamentação da profissão, médicos-veterinários trabalham para manter a vida e o equilíbrio do planeta. Eles cuidam da saúde animal, humana e do meio ambiente, concentrados na chamada Saúde Única. A profissão também contribui para o desenvolvimento econômico e social do país e tem atuação em mais de 80 áreas.