O Conselho juntamente com a Associação Brasileira de Vaquejada criou o termo de cooperação para fiscalizar e coibir a realização de vaquejadas que não cumpram a legalidade.

Na tarde da sexta-feira (14), durante a primeira sessão plenária de 2022, o diretor de chancelas da Associação Brasileira de Vaquejada, Valter Trigueiro Papel, entregou a presidente do CRMV Paraíba, Valéria Rocha Cavalcanti, uma homenagem em prol aos serviços prestados e a parceria consolidada entre as entidades. 

Em colaboração com a Abvaq, o Conselho criou o termo de cooperação técnica que foi elaborado pela diretoria, conselheiros e o coordenador de fiscalização da autarquia, onde padronizou os eventos de vaquejada realizados no estado e dá o reconhecimento aos esportes equestres e aos profissionais da área da zootecnia e médicos-veterinários. 

O termo além de uniformizar os eventos, também passou a exigir a presença de médico-veterinários e zootecnistas tanto para resguardar o bem-estar, como para as questões de fiscalização da sanidade animal. 

Esse termo realizado na Paraíba foi texto-base para edição do Termo de Cooperação Nacional firmado entre o Ministério Público Federal (MPF),  Ministério da Agricultura (Mapa), Associação Brasileira de Vaquejada (Abvaq), Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM) e o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), esse modelo estendido para todos os estados da federação agora faz parte da Vaquejada Legal, que regula os evento equestres realizados nas regiões. 

“Reafirmamos nossa parceria com o CRMV-PB por todo trabalho que vem sendo feito e por toda forma gentil por parte da presidência e conselheiros. Isso é algo extremamente gratificante para gente, esse estreitamento que temos com os profissionais da medicina veterinária e zootecnia. Além disso, um órgão de nível nacional está confiando no nosso trabalho e é de suma importância para nós”, afirmou Valter Papel. 

A presidente Valéria Cavalcanti reiterou a parceria entre os órgãos e reafirmou novas ações. “Muito feliz em receber essa homenagem da Abevaq. O Conselho e seus profissionais seguem à disposição para trocar informações com o objetivo de cada vez mais unificar a legislação para esse tipo de esporte e garantir os direitos aos médicos-veterinários e zootecnistas do estado, aos quais são de suma importância para realização dos protocolos de segurança, tanto para os animais, quanto para sociedade”. concluiu.

00