O Conselho Regional de Medicina Veterinária da Paraíba (CRMV-PB) tomou conhecimento de que um filme de comédia brasileiro – lançado em um dos principais streamings – associava apenas o contato direto com um gato a forma de se infectar com o protozoário Toxoplasma gondii, o CRMV-PB vem externar por meio desta nota que isso é desinformação.

No filme, a personagem principal, que é uma estudante de medicina capaz de escutar o pensamento das pessoas após sofrer acidente de trabalho, desconfia que a paciente está com toxoplasmose – que é uma zoonoses transmitida do animal para o ser humano –  e pergunta se a mesma teve contato com gatos. A paciente confessou que “brincou com um gato” e, assim, a residente constatou que se tratava de toxoplasmose.

De acordo com o Ministério da Saúde, 10% a 15% dos felinos se contaminam com o Toxoplasma Gondii, normalmente, a infecção dos bichanos ocorre quando eles se alimentam de outros animais contaminados,como aves e roedores. Por esse motivo, gatos que vivem em apartamento ou casa e se alimentam de ração, geralmente, não carregam o parasita. 

Felinos vermifugados, com hábito semidomicilar, que usam areia higiênica bem tratada não se infectam e também não transmitem. Ele é apenas uma vítima do ciclo de transmissão desta doença, assim como o homem, o cão e demais espécies mamíferas.

Ao contrário do que muitos pensam, o maior e, também, principal fonte de infecção humana é a ingestão de saladas e carnes cruas, água não potável e má higienização das mãos.

O parasita toxoplasma gondii se desenvolve dentro do trato digestório felino e é eliminado  através de cistos não esporulados presentes nas fezes do felino. Apenas fezes secas após 5 dias de eliminação podem conter cistos infectantes.

Nesse sentido, o CRMV-PB, com interesse em desmistificar essa zoonose, vem por meio desta, agregar conhecimento. Esse tipo de informação errônea sobre a toxoplasmose, sendo transmitida em cadeia internacional por meio da plataforma de streaming, acarreta muitas vezes aos animais o preconceito, assim como o abandono.

O Conselho, como órgão consultivo, se coloca à disposição de showrunners para entrarem em contato quando abordarem assuntos pertinentes à Saúde Única.