O simples ato de ingerir leite não pasteurizado ou mesmo comer uma carne mal passada pode dar início a uma série de problemas de saúde provocados pela doença brucelose humana, uma zoonose causada por bactérias do gênero Brucella ssp. Essa infecção bacteriana afeta milhares de pessoas em todo o mundo, pode matar ou mesmo levar a doenças crônicas com sintomas tardios ao longo da vida.

A doença, que é responsável por incapacidade para o trabalho ou diminuição do rendimento profissional, atinge principalmente trabalhadores rurais, como vaqueiros, boiadeiros, vacinadores, tratadores de animais, produtores de carne, leite e queijo. Além de médicos-veterinários, funcionários de frigorífico e de laboratórios, e quem estiver em contato com o animal doente.

Mas como a bactéria possui múltiplas rotas de infecção, sendo que os mamíferos são os principais hospedeiros naturais, gera um cenário de difícil controle e de real ameaça para a saúde pública, qualidade de vida e sobrevivência de pessoas e animais.

TRANSMISSÃO

A bactéria localiza-se no útero, placenta e/ou úbere das fêmeas e nos testículos dos machos, tendo principal meio de contaminação da brucelose no rebanho sadio a aquisição de animais infectados.

PREVENÇÃO

De acordo com o PNCEBT , devem ser vacinadas as bezerras de 3 a 8 meses, marcação com V, do lado esquerdo da cara das mesmas e só poderão ser submetidas ao teste diagnóstico de brucelose a partir de 24 meses de idade.

Causa abortos, cios repetidos, nascimentos prematuros e queda da produção, com o rebanho perdendo até 25% da eficiência reprodutiva e produtiva.

SINTOMAS EM HUMANOS

Febre, sudorese noturna, dores nas articulações e musculatura, artrites, afetando a coluna, tromboflebite, apatia e perda de peso. Pode afetar fígado, baço, ossos e S.N.

Em mulheres grávidas pode causar abortos e em homens inflamação de testículos, disfunção erétil e infertilidade.

O tratamento é feito por meio de antibióticos por seis semanas. 

CONSUMO DE CARNE

Se a carcaça receber Inspeção de médico-veterinário oficial sem lesões características de brucelose pode ser liberada (RIISPOA-Art. 138 ,§1°).

TRATAMENTO DE ANIMAIS

Não é permitido tratar animais positivos, os quais devem ser abatidos em abatedouro frigorífico que possui inspeção sanitária ou sacrificados e enterrados na propriedade.