Nesta quarta-feira (06), a presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária da Paraíba (CRMV-PB), Valéria Cavalcanti, participou da composição da mesa de abertura do seminário promovido pelo CRMV-PE sobre Doença de Haff. O debate contou com palestra de estudiosos da área, como Dr Mathias Schramm e discutiu sobre Doença de Haff associada a pescado e biotoxinas: o que se sabe até o momento. O evento aconteceu no auditório do Riomar Trade Center.

Os sistemas CFMV/CRMVs, órgãos como as Universidades públicas e privadas, Vigilância Sanitária e Epidemiológica, Ministério da Saúde (MS), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), pesquisadores e epidemiologistas, estão unindo esforços para realização e aplicação de um protocolo de prevenção a contaminação.

A presidente do CRMV-PB, Valéria Cavalcanti, elucida sobre a importância do encontro: “O seminário vem em um momento oportuno, pois, tivemos casos da Doença de Haff detectadas nos estados da Paraíba, Pernambuco, Bahia, Amazonas e Ceará, por isso, um evento como esse se torna de suma importância para discutir e ampliar o conhecimento sobre a doença e sua prevenção”. conclui.

O que é a Doença de Half?

A doença de Haff é uma doença rara que acontece de forma repentina e que é caracterizada pela ruptura das células musculares, o que leva ao aparecimento de alguns sinais e sintomas como dor e rigidez muscular, dormência, falta de ar e urina preta, semelhante a café.

Acredita-se que o desenvolvimento da Doença de Haff seja devido a alguma toxina biológica presente em peixes de água doce e crustáceos. Por isso, é importante que seja logo identificada e tratada, isso porque a doença pode evoluir rapidamente e trazer complicações para o portador, como insuficiência renal e falência múltipla de órgãos.

 

 

Por: Mabel Abreu – Assessoria de Comunicação