O Dia Mundial da Saúde Única, celebrado no dia 3 de novembro, foi criado com o objetivo de conscientizar a sociedade para a relação indissociável entre as saúdes animal, humana e ambiental. Por isso, o Conselho Regional de Medicina Veterinária da Paraíba (CRMV-PB) reforça a importância do médico-veterinário como protagonista nessa cadeia interdisciplinar.

A Saúde Única é uma abordagem que considera como humanos e animais interagem ecologicamente em um ambiente, onde qualquer alteração nestas relações provocará desequilíbrios e, consequentemente, a propagação de doenças. A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) estima, por exemplo, que 75% de todos os patógenos que afetam os humanos são zoonoses, isto é, doenças infectocontagiosas que podem ser transmitidas dos animais para os seres humanos.

Com isso, é possível aliar a atuação integrada entre a Medicina Veterinária, a Medicina Humana e outros profissionais de saúde para prevenção e combate de doenças comuns a todos os seres. A Medicina Veterinária, ao abraçar e ligar os três aspectos dessa cadeia, revela-se uma das profissões mais completas do mundo. Foi criada com o dever de prevenir e curar doenças dos animais, mas sempre tendo como objetivo o homem e o serviço maior à humanidade.

Para trazer uma visão mais específica do assunto, convidamos três médicos-veterinários que estão realizando residência multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade para promoção da Saúde Única nos Territórios de João Pessoa para descrever o processo, a atuação e a importância da Saúde Única para a sociedade.

A atuação da Medicina Veterinária da Residência Multiprofissional

No atual contexto que o planeta está passando com a emergência e reemergência de doenças infecciosas e zoonóticas, com a pandemia da covid-19 e grandes riscos de outras num futuro próximo, intervenções para controlar o desequilíbrio ambiental em curso são mais que necessárias. Nesse cenário, a medicina veterinária tem um papel fundamental na organização da relação entre a saúde do ambiente, dos animais e dos seres humanos, promovendo a Saúde Única. Esse é um dos motivos da importância da atuação da medicina veterinária nos territórios. 

Em João Pessoa, na Paraíba, uma experiência vem acontecendo nas comunidades da cidade, que é a presença de médicas(os) veterinárias(as) na Atenção Básica, trabalhando como residentes do Programa Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade. Cada residente desempenha suas atividades em uma Unidade de Saúde da Família (USF) diferente, nos bairros do São José, Mangabeira e Valentina. Dentre as principais atividades que vêm sendo desenvolvidas pelas(os) residentes estão: 

 

– Participação no enfrentamento direto da pandemia da covid-19, auxiliando nas notificações e testagens dos pacientes com síndromes gripais, e participação nas equipes de vacinação contra o vírus; 

– Processo de territorialização das áreas, trabalho realizado em conjunto com as equipes de Saúde da Família (EqSF) e principalmente com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Controle às Endemias (ACE), propiciando a realização de visitas domiciliares educativas junto à população;

– Articulação com outros serviços, como Hospital Universitário Lauro Wanderley, Vigilância em Saúde, Centro de Controle de Zoonoses, Centro de Informação e Atendimento de Toxicologia, Batalhão de Polícia Militar Ambiental da Paraíba, com o objetivo de qualificar as linhas dos cuidados envolvendo as zoonoses e agravos ambientais; 

– Realização de atividades de educação em saúde, em conjunto com outros núcleos profissionais, voltadas aos usuários das USFs em salas de espera nas unidades, abordando temas como guarda responsável, acidentes com animais peçonhentos, e também em salas de esperas do pré-natal, com diálogos sobre toxoplasmose, arboviroses e a importância dos animais para a família; 

– Realização de atividades de educação permanente em saúde, com realização de rodas de conversa para EqSF sobre meio ambiente e zoonoses, como também diálogo com policiais ambientais sobre a importância da Saúde Única; 

A atuação da Medicina Veterinária tem se mostrado relevante para o diagnóstico de doenças e agravos relacionados à interface ambiente, animal e ser humano nos territórios, como também para o desenvolvimento de atividades de promoção e prevenção em Saúde Única. 

É importante ainda destacar que para a implementação da abordagem em Saúde Única é preciso de políticas públicas robustas e que dialoguem intersetorialmente, por isso as(os) médicas(os) veterinários(as) residentes ressaltam a defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) contra o seu desmonte e desfinanciamento, e também contra o desmonte da Atenção Básica e do NASF.

Nina Toralles, Lis Ramalho e Sebastião André Autores – Médicos-Veterinários Residentes do Programa Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade da Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba, em conjunto com a Secretária Municipal de Saúde de João Pessoa – PB.