Três estudantes brasileiros foram selecionados para receber uma bolsa de US$ 2.500, cada um, do Programa de Bolsas de Estudo para Estudantes de Medicina Veterinária, da Associação Mundial Veterinária (WVA, sigla em inglês). A iniciativa é realizada desde 2017, em parceria com a empresa MSD Animal Health, para reconhecer as realizações acadêmicas dos alunos e auxiliá-los no desenvolvimento da futura carreira. Na sua quinta edição, o programa recebeu 500 inscrições e selecionou 80 estudantes de Medicina Veterinária de 47 países da Ásia/Oceania, África, do Oriente Médio e da América Latina.

Os três representantes do Brasil são os estudantes do 6º semestre Victor Rodrigo Domingos Magalhães, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS); Rafaela Vilar Constantini, da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (Unesp, campus Araçatuba); e Milena Ferreira, da Universidade Federal de Bahia (UFBA).

“É um prêmio por todas as horas de estudo dedicadas e um adicional no currículo”, acredita Magalhães, que ainda não decidiu sua área de atuação. No momento, pensa em patologia ou cirurgia, mas tem certeza de que vai investir o valor da bolsa para se manter na faculdade até a formação. “Com os recursos, vou comprar equipamentos para o exercício da Medicina Veterinária durante a graduação”, revela.

Já Rafaela acredita que o envolvimento em projetos sociais pode ter contribuído para a seleção. “Sempre gostei de participar de projetos sociais e atividades extracurriculares, pois assim posso dar um retorno à comunidade que financia meus estudos na universidade pública”, reconhece a estudante de Araçatuba.

Assim também foi a trajetória de Milena. Aproveitou as oportunidades oferecidas pela faculdade em grupos de estudos e em estágio no ambulatório de animais silvestres da universidade. “Me esforço para procurar saber mais, produzir ciência em laboratórios federais, ser inspirada por essas experiências e ir além”, conta.

As candidaturas foram avaliadas com base no desempenho acadêmico, envolvimento dos estudantes com a carreira desejada, potencial de liderança e as cartas de apoio de suas universidades. O programa foi criado para ajudar os estudantes em seu desenvolvimento escolar e permitir que continuem os estudos por meio de apoio financeiro direto.

Rafaela está nesse caminho e acredita que a conquista abrirá muitas portas na carreira. A estudante pretende utilizar os recursos da bolsa para aprofundar estudos e pesquisas. Para isso, planeja participar de congressos, comprar livros didáticos e buscar cursos nas áreas de prática baseada em evidências, redação científica e revisão sistemática. “A área de animais silvestres é meu maior interesse como futura pesquisadora e profissional”, planeja.

A Milena também pretende seguir na área de animais silvestres, voltada para a conservação das espécies. A estudante se inscreveu no programa pela oportunidade de crescimento. “Senti que, se fosse escolhida, poderia chegar em lugares em que eu nunca sonharia, principalmente, por ser de família pobre e passando por um momento tão delicado de cortes na educação e no incentivo à pesquisa”, declara. Com a bolsa, ela acredita que terá acesso e oportunidades que seriam dificultadas por questões financeiras, e não precisará aceitar trabalhos em campos de atuação dos quais não tem relação com seu objetivo de vida. “Vou poder me manter na faculdade e direcionar meu foco para enriquecer meu currículo nas áreas em que realmente tenho interesse”.

Programa

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) é membro da WVA desde 2015, com o objetivo de promover o intercâmbio de informações técnico-científicas, acordos de cooperação e parcerias institucionais que aumentem a visibilidade da Medicina Veterinária brasileira e de seus profissionais no panorama internacional.

O programa de bolsas para estudantes é uma das colheitas dessa parceria e já concedeu bolsas a outros nove estudantes brasileiros nas edições anteriores, sendo quatro em 2017, quatro em 2018 e um em 2020. Desse total, seis eram da Universidade Federal de Lavras.

“Os estudantes são o futuro da Medicina Veterinária. Serão os multiplicadores da saúde única, colocando em prática, cada vez mais, o pensamento de Louis Pasteur: ‘A Medicina cura o homem, a Medicina Veterinária cura a humanidade’”, projeta Francisco Cavalcanti de Almeida, presidente do CFMV.

O CFMV tem se articulado para integrar grupos técnicos e comitês da WVA e participar ativamente de políticas estratégicas voltadas aos profissionais brasileiros. O objetivo é proporcionar acesso às iniciativas, atividades e aos projetos globais para troca de experiências sobre a Medicina Veterinária mundial.

“Investimentos constantes em aprimoramento profissional e um ensino de qualidade são essenciais para o bom exercício profissional, pautado pela conduta ética e voltado à proteção da sociedade”, defende Cavalcanti.

Ao longo dos anos, a WVA tem constatado o número crescente de inscrições recebidas de estudantes da América Latina. “Juntamente com a MSD Saúde Animal, concordamos em dobrar o número de bolsas para reconhecer mais alunos por seus esforços, especialmente, durante a pandemia mundial de covid-19, para ajudá-los a ter sucesso em seus estudos e em sua futura carreira na Medicina Veterinária”, disse a presidente da WVA, Patricia Turner.

Assessoria de Comunicação do CFMV, com informações da WVA.