O uso incorreto do refrigerador apresenta riscos de contaminação de produtos e infecção de pessoas e animais

O setor de fiscalização do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Paraíba (CRMV-PB) realiza averiguação detalhada dos locais, com vistas a identificar irregularidades, prestar orientações aos responsáveis e contribuir para que práticas incompatíveis com a ética sejam eliminadas. Nessas atividades, uma infração constantemente identificada está relacionada ao uso incorreto do refrigerador de acondicionamento de vacinas.

Os refrigeradores devem ser de uso exclusivo para o armazenamento de vacinas, antígenos, medicamentos de uso veterinário e outros materiais biológicos não contaminados, devendo ser ainda equipado com termômetro próprio para fins de monitoramento da temperatura, não devendo esta sair da faixa dos +2°C e +8°C.

Os fiscais do Regional têm encontrado com frequência, refrigeradores de uso compartilhado sendo, em alguns casos, utilizados para guarda de alimentos humanos, sangue de animais, vacinas, água, suco refrigerante, dentre outros, além de estarem em estado de completa falta de higiene, apresentando risco de contaminação de produtos e infecção de pessoas e animais.

Quando, num mesmo refrigerador, são acondicionados produtos estéreis e contaminados, as chances de que exista ali uma contaminação cruzada é enorme, o que afetaria medicamentos, soros, antígenos e vacinas, comprometendo a sua eficácia e colocando em risco a saúde dos animais.

O CRMV-PB alerta que, um refrigerador destinado à guarda de produtos biológicos não pode ser instalado no refeitório de um estabelecimento, pois contraria as normas de saúde pública. O ideal é que os refrigeradores sejam identificados e instalados em locais próprios, mantendo-se dentro do que estabelece a Resolução CFMV 1275/19 e outros dispositivos legais indicados pelas entidades de saúde.